X
Menu
X

Câncer de boca

O câncer de boca é o tumor maligno que pode acometer os lábios (mais freqüentemente o lábio inferior) e a cavidade oral: mucosa, gengivas, palato duro, língua e assoalho da boca.
É mais prevalente nos homens e pessoas com idade superior a 40 anos, que fazem uso do tabaco principalmente associado ao abuso do álcool. Excesso de exposição ao sol sem proteção pode causar câncer no lábio, além do câncer de pele. O uso de tabaco de qualquer tipo é fator de risco para desenvolver câncer bucal, a quantidade e o tempo estão relacionados à prevalência da doença. O uso de álcool potencializa o problema.

Quais são as lesões causados pelo Câncer de Boca

As lesões normalmente se apresentam como feridas na boca que não cicatrizam. Podem ser ulcerações indolores que podem sangrar ou não; manchas esbranquiçadas ou avermelhadas nos lábios, língua ou na mucosa bucal. Dificuldade para falar, mastigar e engolir, perda de sensibilidade em alguma região da boca, além de emagrecimento acentuado, e presença de caroços no pescoço são sinais de câncer de boca em estágio avançado, sendo que a dor pode ocorrer embora seja menos comum.

Como a lesão costuma não doer, muitas pessoas procuram atendimento quando a doença já está muito avançada. Por isso é muito importante fazer o autoexame com muita atenção e procurar o dentista regularmente, principalmente se você possui alguns dos fatores de risco. Se o câncer é descoberto em uma fase mais precoce, as chances de tratamento com sucesso são muito maiores. Nesse estágio são normalmente tratados com cirurgia ou radioterapia, com uma boa chance de cura. Quando o câncer já está avançado a cirurgia é mais complicada e pode ser mais mutilante pela quantidade de tecidos envolvidos.
A recuperação dos tratamentos do câncer de boca também pode incluir a reabilitação para recuperar a habilidade de falar e de comer, como também uma cirurgia estética se uma cirurgia mais extensa foi feita.
Evite fumar. O tabaco possui inúmeras substâncias cancerígenas. Evite abusar do álcool pois, além de potencializar o problema, provoca a queda do sistema imunológico. Se for se expor ao sol, use protetor solar e boné. Se trabalhar sob o sol deve usar chapéu, filtro solar e certificar-se de que os lábios estão protegidos da exposição direta. O paciente diagnosticado com câncer deve parar de fumar imediatamente.

O diagnóstico deve ser feito por meio de uma biópsia. O tratamento vai depender do estágio da doença e se ela já afetou outros órgãos à distância. Poderá ser a cirurgia, radioterapia, quimioterapia ou a combinação deles. A cirurgia remove a lesão cancerosa e um pouco do tecido sadio ao redor, chamada margem de segurança. Pode ser necessária remoção dos linfonodos locais, evitando que a doença se espalhe. A radioterapia usa um feixe de radiação ionizante para destruir as células cancerosas e é o tratamento primário para alguns tumores pequenos podendo ser usado na intenção de diminuir a lesão para causar menores danos aos tecidos após a cirurgia.
Também pode ser usada depois da cirurgia para se ter certeza que todas as células do câncer foram destruídas. A radioterapia pode também causar danos aos tecidos sadios, como as glândulas salivares, por exemplo, além de outros efeitos colaterais. A quimioterapia usa medicamentos para controlar as células malignas e pode ajudar a diminuir o tumor antes de cirurgia. As drogas também afetam as células sadias, embora em proporção bem menor, e por isso, também possuem efeitos colaterais.

Mesmo que o paciente seja curado, deve-se  fazer sempre um acompanhamento para evitar ou detectar precocemente o desenvolvimento de uma nova lesão.

Áreas odontológicas relacionadas

A especialidade odontológica mais indicada para o diagnóstico do câncer bucal é a Patologia.

Share
Faça sua pergunta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *